Tribunal de Justiça de MS alerta para a prática de golpes

Comunicado foi emitido pela Coordenadoria-Geral de Segurança Institucional a fim de alertar para a possibilidade de golpes em razão do recente vazamento de dados no país

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, por meio da Coordenadoria-Geral de Segurança Institucional, Assessoria de Inteligência, emitiu comunicado sobre possibilidades da prática de golpes, em razão do recente vazamento de dados no Brasil.

De acordo com a nota oficial, foram vazadas informações de 37 bases de dados pessoais, incluindo “RG, estado civil, lista de parentes, endereço completo, nível de escolaridade, salário, renda, poder aquisitivo, status na Receita Federal e INSS, entre outros”.

A nota diz que com base nestes dados, são possíveis ocorrência de crimes de fraudes online, “saques bancários, falso sequestro de parentes, recebimento de boletos falsos por e-mail ou Whatsapp”.

Diante desses fatos, a Assessoria de Inteligência, com base em orientações de especialistas da área, recomenda, inicialmente que as pessoas revejam senhas bancárias, de cartões de débito/crédito e de celular, ativando a autenticação em duas etapas de contas e serviços pelo número do celular ou pelo e-mail, pois, segundo o comunicado, “mesmo que os dados bancários não tenham sido vazados diretamente, informações como nome, CPF, telefone e e-mail podem ser utilizados por pessoas mal intencionadas, para obter acesso a diversos sistemas, que uma vez abertos, podem ser utilizados para a troca de senha ou do e-mail de recuperação de conta”, informa a Assessoria de Inteligência.

Assim, é importante redobrar o cuidado ao fornecer informações sensíveis, em mensagens, e-mail e demais redes sociais, ainda que o conteúdo tenha sido encaminhado por pessoas conhecidas.

Segundo a nota, em caso de ligações alegando sequestro de parentes, o alerta é para não entrar em desespero. “Tentar contato com o parente e não efetuar qualquer transferência de valores, procurando imediatamente uma delegacia de polícia”.

O comunicado foi assinado pelo delegado de Polícia e Assessor de Inteligência, de Campo Grande, Edi Ederaldo de Almeida.