Gengibre para melhorar atenção, foco e memória

Nativo da China e um dos principais temperos da culinária asiática, o gengibre é uma raiz que hoje é facilmente encontrada ao redor do mundo. Essa raiz vem sendo usada pelos seus benefícios terapêuticos em diversas práticas medicinais tradicionais há milhares de anos. Seu uso mais tradicional aponta a capacidade de melhorar digestão, náuseas e sintomas de resfriado.

Recentemente, a ciência vem comprovando algumas de suas propriedades que antes eram desconhecidas. Além de seu uso terapêutico para imunidade, alívio de sintomas de resfriado e mal-estar, alguns compostos do gengibre têm a capacidade de alterar a maneira como nosso cérebro funciona.

Estudos demonstram que até mesmo pequenas doses de gengibre podem melhorar a atenção, a memória de curto prazo e o tempo de reação. Isso acontece em parte porque alguns compostos encontrados no gengibre demonstram aumento no nível de atividade de acetilcolina, um neurotransmissor associado à memória e aprendizado. A acetilcolina é um neurotransmissor importante que confere neuroplasticidade ao nosso cérebro. A neuroplasticidade é a habilidade de o cérebro se moldar e reformatar para aprender habilidades novas e guardar memórias.

As propriedades anti-inflamatórias do gengibre também protegem nosso cérebro contra danos de longo prazo, como perda de memória e demência, e habilitam o pleno funcionamento do hipocampo, a parte do cérebro responsável pela nossa memória de curto prazo. O neuronutriente do gengibre 6-shogaol é o maior responsável por modular os processos inflamatórios do cérebro. Nos estudos com o 6-shogaol, pesquisadores afirmam que em função de seus efeitos neuroprotetores, o 6-shogaol pode ser usado como agente terapêutico eficiente para tratamento de doenças neurodegenerativas.

O gengibre também é capaz de aumentar a produção de dois dos neurotransmissores mais importantes, serotonina e dopamina. A serotonina é ligada a sensações de bem-estar e a dopamina é ligada a sensações de recompensa e motivação. Efetivamente, quando o gengibre eleva os níveis desses neurotransmissores, ele pode fazer com que você se sinta mais motivado e mais feliz.

Adicionalmente, existem mais de 50 compostos antioxidantes no gengibre, tornando-o um dos alimentos com maior concentração de antioxidantes. Um grupo desses antioxidantes, o neuronutriente gingerol, pode prevenir a deterioração prematura dos neurônios, protegendo o cérebro contra a oxidação de radicais livres.

Resumo dos benefícios para a mente

  • O consumo pontual de gengibre melhora a atenção, a memória de curto prazo e reduz o tempo de reação a estímulos.
  • O 6-shogaol protege o cérebro de neuroinflamação, preservando a capacidade de memória e cognição ao longo do tempo.
  • As propriedades antioxidantes do gingerol protegem o cérebro contra a oxidação de radicais livres.
  • Para pessoas que estão tentando se concentrar nos estudos e no trabalho, o consumo de gengibre pode ajudar a manter o foco e melhorar a memória de curto prazo. O consumo contínuo no longo prazo mantém o cérebro saudável e ativo.
  • O gengibre natural fresco consumido como um alimento não demonstra efeitos adversos para o corpo; porém, a dose ideal para obter os benefícios não precisa passar de uma ou duas colheres de chá por dia. Extratos e suplementos de gengibre também são efetivos, mas seu consumo excessivo pode ter consequências. Se tiver interesse em consumir suplementos de gengibre, é recomendado consultar seu médico ou nutricionista. 


    Dafne da Veiga Ribas

    Ariana, mãe, nutricionista, espiritualista, diretora comercial na Rádio Cidade Maracaju e Jornal Maracaju Hoje e administradora do perfil @viver.em.harmonia no Instagram