Decreto que reabre comércio alimentício em Maracaju segue ‘ameaçado’

Fotos: Luiz Guilherme/Maracaju Hoje

Reunião na tarde desta segunda-feira (27/4), com o prefeito de Maracaju, Maurílio Azambuja, o procurador geral do município, Pedro Pessato, presidente da Assema (Associação Empresarial de Maracaju), Fernandes Cristado e alguns comerciantes do setor alimentício, enfatizou a possibilidade da derrubada do Decreto 050, publicado na semana passada que permitiu a reabertura de bares, lanchonetes, restaurantes, sorveterias entre outros.

O motivo segundo o informado à imprensa, a suspensão do decreto foi solicitada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), indeferida pelo Promotor de Justiça de Maracaju, Estéfano Rocha, no entanto, durante o fim de semana, um juiz teria flagrado em um estabelecimento, funcionários trabalhando sem máscara e luvas – o que é de uso obrigatório, conforme consta na publicação do decreto.

Pedro Pessato teme que o decreto seja derrubado, e novamente o comércio do ramo da alimentação volte a ser fechado.

“Os argumentos apresentados pelo juiz de que os empresários não cumpririam as normas de segurança como atender com 30% da capacidade de lotação, que não seriam usados luvas, máscaras álcool em gel, foi fraco, tendo em vista que os trabalhos nem tinham começado ainda. É preciso ter uma avaliação, fiscalizar, tanto que hoje foram convocados mais 20 profissionais de educação física para auxiliar nessa fiscalização”, pontuou o procurador.

Ele também pediu junto com o prefeito Maurílio, que os proprietários do estabelecimento assim como seus funcionários, estejam sempre de máscara, evitem aglomerações e que respeitem o horário de funcionamento que é das 19h às 23h.

“Respeitando essas orientações, ninguém sairá perdendo. Depois do horário determinado para fechar, nada impede que a lanchonete, restaurante, enfim, continue funcionando, desde que seja apenas com entregas”, enfatizou.

Relembre

O decreto foi publicado na quinta-feira (23/4), e determinou que comércios que funcionem durante o dia como sorveterias, cafés, abram a partir das 6h, e fechem às 19h. Já em caso de bares, lanchonetes, restaurantes, conveniências, das 19h às 23h.

Colocando mesas e cadeiras apenas no interior do local, não na calçado, está proibido a contratação de música ao vivo, e a distância entre os clientes deve ser de pelo menos dois metros, conforme orienta a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Luiz Guilherme – Maracaju Hoje