Curso da PM não respeita distanciamento social e esquece Covid-19

Aglomeração durante curso para formação de novos sargentos; foto: Reprodução/Campo Grande News
Luiz Guilherme – Maracaju Hoje
Os cuidados para se proteger da Covid-19 parecem que foram esquecidos pela Polícia Militar, em Campo Grande, durante um curso para formação de novos sargentos. Após 75% dos servidores apresentar sintomas do Novo Coronavírus durante aula de graduação como oficial, um vídeo que circula na internet mostra alunos sem máscaras e em aglomeração.
Conforme reportagem do Campo Grande News, a gravação tem o flagrante de um dos policiais falando em tom jocoso sobre o uso da proteção.
“Tem que usar máscara, ó o covid”, ouve-se uma pessoa dizer.
A filmagem é de alunos do curso de formação de sargentos da Corporação, que tem o objetivo de elevar a sargento 215 alunos. A responsabilidade pela formação é de CFAP (Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças.
O curso era esperado desde o ano passado, teve início em março, mas fora paralisado após a pandemia da Covid-1, sendo retomado. Uma parte das aulas são virtuais, porém há atividades presenciais.
Nesse exercício em questão, turma de 50 homens mais ou menos está no pátio do Batalhão de Choque da PM, nos altos da Avenida Afonso Pena. A gravação tem quatro minutos e foi feita na noite de terça-feira (11/8).
Primeiramente, começa com os policiais perfilados e na sequência, eles são orientados por dois instrutores a formar dois caracóis humanos.
É possível ver que boa parte não está com máscara. Quando eles formam o caracol, ficam aglomerados, tudo que as autoridades desaconselham por causa do alto risco de contágio do Novo Coronavírus.
Ainda segundo o site, o não uso de máscara é o que está inadequado, admite a Corporação.
Em resposta, a PM afirma que a utilização da máscara é obrigatória, e que existe medida determinando isso desde março aos policiais.
“A Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul informa que as medidas sanitárias de prevenção à propagação do Sars-CoV-2 estão sendo adotadas como condições essenciais para execução do trabalho policial, seja ele operacional, administrativo ou nas instruções necessárias à formação e aperfeiçoamento dos policiais militares”, explica em nota.
Em relação ao vídeo em questão, outro trecho explica que, “já está sendo instaurado procedimento administrativo-disciplinar para apurar as circunstâncias do fato”.