Confira o editorial desta semana: Agosto Lilás!

A violência doméstica e familiar é qualquer conduta de discriminação, agressão ou coerção, tendo como vítima a mulher causando-lhe diversos tipos de danos

Jota Menon – Maracaju Hoje
Autoridades brasileiras das três esferas administrativas desenvolvem durante esse mês o programa denominado “Agosto Lilás” criado com o objetivo de estabelecer políticas de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica que, infelizmente, nesses tempos de pandemia em que as pessoas ficam mais tempo confinadas no domicílio, tem aumentado de forma considerável.
A violência doméstica e familiar é qualquer conduta de discriminação, agressão ou coerção, tendo como vítima a mulher causando-lhe diversos tipos de danos, inclusive a morte. Também são produtos da violência contra a mulher atos de constrangimento, limitação, sofrimento físico, sexual, moral, psicológico, social, político, econômico e perda patrimonial.
De acordo com informativo publicado no início do mês pela Coordenadoria dos Diretos da Mulher, a violência doméstica tem como principal característica o fato de praticada por pessoa próxima à mulher agredida ou seja, são sujeitos que têm relação de convivência, afeto ou laços de sangue.
Nesses casos, os autores normalmente são os maridos, companheiros, namorados, que morem juntos ou não e até mesmo ex-companheiros ou ex-namorados que não aceitam o fim do relacionamento.
Atos de violência contra a mulher também podem ter como infratores os pais, padrastos, avôs, filhos, irmãos, sogros, parentes com afinidade e até mesmo mulheres em relacionamentos homo afetivos, como, por exemplo, um casal de duas mulheres.
A campanha “Agosto Lilás” é desenvolvida em todo o Brasil durante o mês em curso, mas as ações de combate à violência praticada contra as mulheres perduram por todo o ano, com os casos de urgência ou emergência podendo ser denunciados pelo telefone comum da Polícia Militar, o 190.
Outro meio para denunciar é o número 180, mantido pelo governo federal ou ainda o canal da Polícia Civil na Internet (www.devir.pc.ms.gov.br), bem como o site www.naosecale.ms.gov.br. Na base territorial dos municípios, são as equipes do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS – que se encarregam de fazer o atendimento às vítimas de violência doméstica. A denúncias também podem ser encaminhadas ao núcleo da Defensoria Pública das comarcas.
São inúmeras as ferramentas disponibilizadas aos cidadãos e cidadãs para combater esse mal que, infelizmente, ainda envergonham o país e que nos obrigam a conviver com campanhas como o “Agosto Lilás”, hoje de suma importância para que tentemos reverter essa triste realidade vivida pela mulher brasileira.