Palestra sobre manejo clínico da Dengue Chikungunya e Zika, movimentou os profissionais de saúde em Maracaju

Em mais uma ação de combate a dengue, na verdade contra o mosquito Aedes Aegypti transmissor da dengue, Zica, Febre Amarela e Chikungunya, o município de Maracaju através das Secretaria de Saúde realizou na noite desta quinta-feira (20), palestra com a médica infectologista Dra Andyane Freitas Tetila palestra sobre Atualização de Manejo Clínico da Dengue Febre Amarela Chikungunya e Zika  em crianças e adultos.

O público alvo foram os médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem bioquímicos, controles de vetores e profissionais da área de saúde.

Hoje Maracaju já tem 100 casos suspeitos de dengue, são pessoas que procuraram  os postos de saúde e hospital com os sintomas que pode ser da doença, partindo desse princípio, qual forma o profissional vai agir, uma vez que o resultado confirmando se é dengue ou não, demora dias, e o paciente não pode esperar esse tempo, é, nesse sentido que a palestrante conversou com os profissionais Manejo e Tratamento da doença.

Segundo a médica Andiane  Feitas Tetila, são dois fatores que levaram ao aumento descontrolado do mosquito, e  a doença , alteração climática com forte calor e a falta de prevenção por parte da população, o mosquito só se prolifera onde estiver local adequado, segundo ela a prevenção é o melhor remédio no combate a doença.

Secretária de Saúde Elvirana Luchiari, disse que o município vem fazendo a sua parte com a participação de outras secretarias e departamentos, mas a população também tem que se mobilizar, a dengue é problema de todos. quanto os casos de suspeita, o número é grande, e por isso, essa palestra, com o objetivo de tratar os suspeitos de forma adequada, mesmo sendo ainda uma suspeita.

Prefeito Maurilio Ferreira Azambuja, destacou todos os trabalhos feitos pelos agentes e pessoal de campo além das limpezas feitas nos bairros, mas só o município não vai dar conta. “Precisamos do apoio da população, essa é uma ação que envolve toda a comunidade, não podemos esperar pelo pior, a prevenção é a solução, vamos cada um fazer o que é de sua responsabilidade que conseguimos vencer essa guerra contra o mosquito”, disse Maurílio.