Confira o editorial dessa semana: Como explicar uma atitude desse nível?

Maracaju Hoje
O senhor Jair Messias Bolsonaro cometeu na segunda-feira, 14, mais uma das suas lambanças como presidente da República Federativa do Brasil. Depois de tomar a atitude que todos os homens de bom senso esperavam do líder de uma nação cuja Constituição a define como laica, vetando o perdão às instituições religiosas do pagamento de tributos federais, ele mesmo foi às redes sociais incentivar deputados e senadores de sua base de apoio a derrubarem o veto e, consequentemente, fazer vigorar a concessão do perdão às religiões que já são por demais alvos das benesses do poder constituído brasileiro.
A nova investida de Bolsonaro no campo da campanha eleitoral foi muito mal vista por segmentos que defendem a condução do estado em separado das questões religiosas e o próprio relator do projeto de lei aprovado com a inclusão da emenda vetada pelo presidente, Fábio Trad (PSD-MS), disse que a atitude de Bolsonaro foi descaradamente eleitoreira.
“É paradoxal, contraditório e constrangedor para o Parlamento. Se fosse lícito, ele próprio sancionaria. Não pediria que o Congresso o fizesse. Ele não age como um presidente da República, mas como candidato à reeleição. Usa de certa forma o Parlamento para satisfação de interesse eleitoral dele”, disse Trad ao site Congresso em Foco. “O presidente quer que o Parlamento fique com o ônus. É um despropósito”, acrescentou o deputado.
Já se comenta nos bastidores políticos brasilienses que os próximos dias deverão ser de intensas negociações entre o Palácio do Planalto e as duas casas do Congresso Nacional.
Não se descarta um acordo de bastidores que satisfaça as duas partes, o Planalto cujo titular da Presidência tem nas igrejas seu principal filão eleitoral, e os parlamentares que precisam atender interesses da classe empresarial.
Como entre os vetos do presidente, além do que se refere ao perdão das dívidas das igrejas, há também o relacionado à desoneração das folhas de pagamento, não se descarta o Congresso Nacional derrubar os dois vetos…
… Agora, como explicar esse tido de negociação para o humilde eleitor que vota e acaba sendo o responsável pelo surgimento desse tipo de liderança?